Entrar

Usuário:

Senha:


Esqueceu a senha?

Parceiros ACES

CONSELHO REGIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE SANTA CATARINA

Câmeras ao vivo | 24h on-line | Maaxcam

SANTA CATARINA TURISMO S.A.

Parceria ACES e Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

FEDERAÇÃO CATARINENSE DE SURF

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE SURF

INSTITUTO BRASILEIRO DE SURF

Guia Floripa - O Guia de Florianópolis na Internet - Hotéis, Pousadas, Imóveis, Restaurantes, Bares, Festas, Eventos e muito mais.

SURF NEWS

DIVULGUE ACES

Incluir link da ACES em seu site:

ACES - Associao Catarinense das Escolas de Surf

Copie o texto acima e cole em seu site.
Escolas de Surf ACES Artigos de Surf e Educação Projetos ACES Artigos de Meio Ambiente e Sustentabilidade Artigos de Competição e Resultados
Informações Importantes Projetos Sociais Executados por Escolas de Surf Artigos de Surf e Saúde Mundo do Surf - SurfNews Área Restrita para Sócios
RSS

(1) 2 »
em 02-11-2016 17:46 (48 leituras)

Festival Internacional de Cinema Socioambiental - 3ª edição, de 24 de outubro a 13 de novembro, em Florianópolis.

Cerimônia de Abertura do Festival
Dia: 03/11/2016
Hora: 19 horas

Cerimônia de abertura às 19 horas no Auditório Garapuvu da UFSC, no primeiro dia do PLANETA.Doc Conferência, marcando também o início do Planeta.doc, com 130 filmes do mundo em exibição.

Ainda restam algumas vagas, se inscreva! É neste link: http://migre.me/v9afV

E veja aqui a programação completa dos filmes: http://migre.me/vomEY

Durante o PLANETA.Doc Conferência, duas exposições no hall do Centro de Cultura e Eventos se relacionam, e muito, com os temas do evento e dos filmes desta edição do festival.

No projeto Remando - Limpando - Ensinando, o remador Jan Daniel Lorenzon apresenta fotos com os resultados de uma travessia de stand up paddle que está realizando entre Laguna e Penha, no litoral catarinense, recolhendo o lixo de cerca de 90 praias desertas e semidesertas e fazendo oficinas com os moradores e escolas.

E o Laboratório de Mamíferos Aquáticos - Lamaq, da #UFSC, irá expor ossadas de animais marinhos e apresentar resultados de estudos da quantidade e espécies que morrem no nosso litoral devido ao lixo.
Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?
em 29-10-2016 01:31 (176 leituras)

POR QUÊ ?

Segundo dados divulgados no Fórum Econômico Mundial de Davos, a proporção de toneladas de plásticos por toneladas de peixes prevista em 2014 foi de uma para cinco, e para 2025 a previsão é de uma para três, ultrapassando proporção de um para um em 2050.

Cerca de 8 milhões de toneladas de lixo plásticos são lançados nos oceanos anualmente, causando dados irreparáveis à vida marinha, como mostram estudos que 90% das aves marinhas são encontradas com plásticos em seu organismo.

Devido ação dos ventos, marés, chuvas e da própria ação do homem, muito do lixo despejado no mar vem parar em praias de difícil acesso, consideradas praias desertas e semi-desertas. O acúmulo de lixo nesses locais faz com que as marés o movam para outras praias, fazendo com que o mesmo nunca seja retirado, poluindo não só as águas por onde entrou, mas sim boa parte da região.

Muitos animais marinhos acabam selecionando suas presas de forma equivocada. O relatório Trapped, divulgado pela Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA), apontou que milhares de animais marinhos - como focas, tartarugas e baleias - são impactados, anualmente, pela grande quantidade de lixo que é despejado pelo homem nos oceanos.

De acordo com a estimativa, entre 57 mil e 135 mil bichos marinhos sofrem todos os anos com os resíduos, que são em sua maioria cordas, redes, fitas adesivas e embalagens plásticas.

O QUE FAZER ?

Através de uma travessia de standuppaddle, o projeto passará por 138 praias, fazendo o recolhimento do lixo de 90 dessas praias, fazendo o destino correto deste. Todo o material recolhido, antes de chegar ao destino final, será exposto para comunidade local, acompanhada de palestras e debates com a população sobre a importância da correta destinação do lixo e outros assuntos pertinentes à preservação marinha, das praias e mares.

Durante o período de aproximadamente 30 a 45 dias, iniciado em 1 de Setembro o remador Jan Daniel Lorenzon, também entusiasta das ações de preservação do meio ambiente marinho, atravessará 138 praias do litoral de sul a norte de Santa Catarina. Destas, 90 praias são consideradas desertas ou semi-desertas, e serão nelas onde será realizada a retirada do lixo das areias e costões. As outras 22 praias escolhidas, por já apresentarem infra-estrutura capaz de sanar a questão do lixo, serão palco das exposições e debates que terão duração aproximada de uma hora e buscarão apoio logístico da prefeitura para o recolhimento e correta destinação do lixo.

Ao final da travessia será apresentado um documentário relatando os resultados da coleta bem como as belezas do litoral do sul ao norte na Santa e Bela Catarina!

  Relatório da 9a. Etapa:

Relatório de tudo que foi recolhido na 9a. etapa do Projeto Remando, as praias onde realizamos as ações foram: Tinguá, Costeira da Armação, Henrique Costa, Magalhães, Corrêa, Antenor, Porto Baía dos Golfinhos (devido a logística nessa praia não conseguimos contar tudo que foi recolhido, mais recolhemos 3 sacolas plásticas)...

  • 01 canudo achocolatado
  • 01 cabide saca roupa
  • 01 chupeta
  • 01 escova de dente
  • 01 pote de shampoo
  • 01 tubo de desodorante
  • 01 balde
  • 01 isca artificial
  • 01 tampa metal
  • 02 palmilhas
  • 02 garrafas de vidro
  • 02 pedaços de esponja
  • 03 bitucas de cigarro
  • 03 latas
  • 03 utensílios de cozinha
  • 03 pedaços de corda
  • 03 embalagens de remédio
  • 03 potes de iogurte
  • 04 calçados
  • 04 sacolas plásticas
  • 05 brinquedos
  • 10 isqueiros
  • 12 embalagens plásticas
  • 16 palitos de pirulito
  • 28 hastes de cotonete
  • 29 garrafas plásticas
  • 38 embalagens de alimento
  • 43 copos plásticos
  • 65 canudos
  • 72 pedaços de plástico duro
  • 117 pedaços de plástico mole
  • 322 tampas plásticas

TOTAL DE MATERIAL RECOLHIDO - 798



Facebook para acompanhar o projeto...

Twitter...

\o
\o \o \o
\o \o \o \o \o
\o \o \o \o \o \o \o

SEJA CONSCIENTE, PRESERVE O MEIO AMBIENTE

\o \o \o \o \o \o \o
\o \o \o \o \o
\o \o \o
\o
Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?
em 12-11-2013 16:40 (2247 leituras)

Como podemos reduzir o lixo marinho?

Porto da Barra, Salvador, Bahia. © Bernardo Mussi de Almeida

Traduzido por Mariana Coutinho Hennemann, Global Garbage Brasil

Os mares e oceanos estão cada vez mais se tornando a lixeira do planeta. Os resíduos plásticos formam 80% das grandes manchas de lixo nos oceanos Atlântico e Pacífico, com consequências fatais para diversas espécies marinhas. A Comissão Europeia está solicitando opiniões sobre qual a melhor forma de tratar desse problema. A consulta pública está aberta até 18 de dezembro de 2013.

Aproximadamente 10 milhões de toneladas de lixo acabam nos oceanos e mares do mundo anualmente. O termo “lixo marinho” engloba uma gama de materiais que têm sido descartados deliberadamente, ou acidentalmente perdidos na costa ou no mar, e inclui materiais que são carreados para o mar a partir da terra, de rios, sistemas de drenagem e de esgotos, ou pelo vento. Ele frequentemente inclui materiais sólidos persistentes, manufaturados e processados, tais como plástico, vidro e metal.

A Comissão Europeia está explorando opções para definir uma meta de redução quantitativa em toda a Europa para o lixo marinho, como indicado no recém-acordado 7º Programa de Ação Ambiental (Environment Action Programme). A consulta sobre o lixo marinho está procurando por contribuições adicionais de cidadãos e interessados. Suas visões irão ajudar a identificar o nível apropriado de ambição para tal meta. O questionário contém uma série de ações que poderiam ser tomadas por consumidores, comerciantes, indústria de plásticos, indústria de pesca e transporte marítimo, ONGs, autoridades locais e nacionais, e legisladores da União Europeia para reduzir a presença e o impacto do lixo marinho. Essas opções incluem evitar o uso de embalagens e garrafas plásticas de uso único, conscientização, ações de limpeza, e determinação de metas de redução em níveis locais e nacionais. Dê a sua opinião em:

http://ec.europa.eu/environment/consultations/marine_litter_en.htm

Próximos Passos

A consulta está aberta até 18 de dezembro de 2013. Baseada no resultado da consulta em andamento e em conjunto com uma revisão dos objetivos da Diretiva-Quadro Resíduos (Waste Framework Directive), Diretiva Embalagens (Packaging Directive) e Diretiva Aterros (Landfill Directive), a Comissão pretende desenvolver uma meta inicial de redução para o lixo marinho. Tal meta poderia ser incluída em uma Comunicação mais ampla sobre resíduos, a ser adotada em 2014. A consulta pública também irá explorar o potencial para medidas adicionais, que poderiam contribuir para uma redução ainda maior no futuro.

Experiência

Na conferência Rio+20 sobre desenvolvimento sustentável, um compromisso global foi feito para tomar ações para “alcançar reduções significativas no lixo marinho para evitar danos ao ambiente costeiro e marinho” até 2025. No contexto da União Europeia, esse compromisso é ainda mais elaborado no 7º Programa de Ação Ambiental, que indica uma “meta de redução quantitativa para o lixo marinho com abrangência em toda a União” a ser estabelecida. A Comissão está trabalhando agora para transformar esse compromisso em ações tangíveis.

Fonte do Artigo:

 http://www.globalgarbage.org.br/porta ... s-reduzir-o-lixo-marinho/

 

Artigos relacionados:

 

Para mais informações:

http://ec.europa.eu/environment/consultations/marine_litter_en.htm

Veja também:

http://ec.europa.eu/environment/marin ... escriptor-10/index_en.htm

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?
em 08-10-2013 09:43 (1844 leituras)

Um projeto que ainda esta em estudo de viabilidade, tem como objetivo principal a retirada do plástico no oceano. Criado pelo estudante de engenharia, holandês Boyan Slat, de 19 anos, com ajuda de mais 50 engenheiros, estão aplicanto sua criatividade e conhecimento em tecnologia para criar o dispositivo capaz de remover todo tipo de plástico dos oceanos, que já receberam mais de 7 milhões de toneladas deste material.


O Ocean Cleanup Array funcionaria como um filtro, recolhendo todo tipo de objeto flutuante e colocando-o numa espécie de compartimento.

O plástico encontrado, por sua vez, permanece armazenado mas ainda dentro da água, prevenindo assim qualquer tipo de risco aos animais que possam ter contato com o aparelho.  Um processo de separação em terra será realizado para devolver os animais ao mar.


Segundo o criador, o processo de limpeza levaria até cinco anos. Mesmo com o projeto sendo apenas um protótipo, Boyan criou a The Ocen Cleanup Foundation, um organização sem fins lucrativos que visa captar recursos para o desenvolvimento do dispositivo.

Nota do autor:

O último par de meses vários artigos (espontânea) foram publicadas, alegando que o Cleanup Matriz Oceano é um "método viável 'de extração de plástico dos giros. Esta é uma declaração incorreta, estamos atualmente apenas em cerca de metade o nosso estudo de viabilidade. Só depois de terminar esse estudo, acreditamos que tais declarações devem ser feitas. Embora os resultados preliminares parecem promissores, e nossa equipe de cerca de 50 engenheiros, modeladores, peritos externos e alunos está fazendo um bom progresso, tivemos e não têm intenção de apresentar um conceito como uma solução viável e ainda estar em fase de investigação.

Link do projeto: http://www.boyanslat.com/plastic5/

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?
em 04-10-2013 07:56 (1401 leituras)

MIDWAY, uma mensagem do Gyre é um curta-metragem. É uma viagem visual poderosa para o coração de uma tragédia ambiental surpreendentemente. Em uma das ilhas mais remotas do nosso planeta, dezenas de milhares de albatrozes bebê mortos no chão, seus corpos cheios de plástico da Mancha de Lixo do Pacífico. Voltando à ilha ao longo de vários anos, a equipe assiste os ciclos de vida e morte destas aves como uma metáfora de múltiplas camadas para os nossos tempos. Com o fotógrafo Chris Jordan como guia, documentário através do fogo de horror e tristeza, de frente para a imensidão dessa tragédia e nossa cumplicidade, na cabeça. E nesse processo, encontramos um caminho inesperado para uma experiência transformadora de beleza, aceitação e entendimento.
MIDWAY está atualmente em produção e deve estrear no início de 2014.

MIDWAY a Message from the Gyre : a short film by Chris Jordan from Midway on Vimeo.

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?

em 10-08-2013 11:50 (1598 leituras)

 

Autor:

Situação de Emergência no Japão deixa o planeta todo preocupado

Há quem idolatre a eficiência e a disciplina dos japoneses. E há também quem os acuse de ser o povo que mais agride a vida marinha, matando baleias e golfinhos em todos os mares do planeta. Infelizmente, ambos estão corretos. Os japoneses são mesmo um povo exemplar quando se fala de educação e de eficiência, mas também são um dos maiores bandidos do mundo quando falamos na preservação dos oceanos e da vida marinha.

As histórias de navios japoneses matando baleias, golfinhos e dizimando o atum em todos os mares do planeta já são antigas, corriqueiras, e não surpreendem mais ninguém. Esse povo, tão educado, já acabou com suas reservas pesqueiras devido a prática da sobrepesca e hoje vive praticando sua pesca  agressiva e predatória (e não muito inteligente) na costa de diversos países, inclusive aqui no Brasil, onde estão acabando com o nosso atum.

Mas essa matança exagerada de animais marinhos e a prática da sobrepesca (quando se pesca mais rápido do que o peixe consegue se reproduzir) não são nada perto do que os japoneses estão cometendo  agora: o maior crime contra a história dos oceanos.

Foto:
http://fukushimaupdate.com/tepco-fina ... es-fukushima-plant-leaks/

Neste exato momento em que você está lendo esse texto, toneladas e mais toneladas de água contaminada são jogadas da usina nuclear de Fukushima direto para o mar. Esse envenenamento crônico já atinge diversos países, como a costa oeste dos Estados Unidos e o arquipélago havaiano. A imagem acima mostra o fluxo dessa radiação se espalhando pelo oceano pacífico e atingindo muitos países, mares e praias.

A Usina de Fukushima, atingida pelo terremoto/tsunami de 2011, está liberando cerca de 300 toneladas de água contaminada por dia no mar do Japão, isso desde a época do acidente, há 2 anos, informou um funcionário do governo.

Enquanto o governo japonês luta para tentar reverter esse quadro, componentes radioativos (como trítio, césio e estrôncio) estão sendo jogados no mar e no ar, causando sérios problemas aos mares, ao meio-ambiente e a população mundial. Já se fala que serão necessários cerca de 40 anos para a limpeza do local e trilhões de dólares para que se reverta essa situação. Mas também se fala que esse envenenamento pode durar séculos.

A pergunta que não quer calar é: por que o estúpido bicho-homem continua apostando na cara e muito perigosa energia nuclear, quando existem tantas alternativas mais inteligentes e mais limpas de captação de energia? Me perdoem as palavras, mas os japoneses também sabem ser ignorantes e estúpidos. E por conta disso, estão colocando não só o nosso surfe, mas toda a população mundial em apuros.

O que podemos fazer é evitar a todo custo comer alimentos de origem japonesa, principalmente peixes e frutos do mar. E evite também comer produtos produzidos na costa da Califórnia. Alimentos que tenham sido expostos a radioatividade podem causar câncer e um grande número de doenças sérias.

A notícia já é demasiadamente triste, e o quadro piora quando não sabemos ao certo se as informações passadas são corretas. Afinal, se o governo do Japão só agora assumiu esse vazamento publicamente e fala em 300 toneladas diárias de água contaminada, esse número deve ser ainda maior.

Acho que vale dizer que devemos todos lutar contra as fontes de energia nuclear, que são perigosas e que oferecem muito mais riscos à população do que todas as outras formas de captação de energia juntas. Só o homem ganancioso é que não vê.

Texto copiado deste link:
http://surfabout.blogspot.com.br/2013 ... cia-no-japao-deixa-o.html

---

E ainda corremos o risco do que pescado aqui do atlântico seja retirado das nossas mesas para ser vendido a um preço bem maior para exportação.



Mais informações em http://fukushimaupdate.com/

 

A solução para evitar este problema ja existe, mas é muito pouco conhecida pelo grande público. Veja a seguir o terceiro bloco de um documentário com 9 blocos mostrando que a energia limpa ja é de conhecimento científico, mas é reprimida a cada nova tentativa de torna-la pública.

 

 

Documentário Prosperar - Conheça a realidade da Vida:

 

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?

em 14-02-2012 16:00 (1756 leituras)
Boa tarde à todos
Abaixo email encaminhado pela APRENDER sobre mobilização na Barra da Lagoa na Terça Feira de Carnaval
Att
Diretoria ACES



Olá Róger e prezados representantes das escolas de surfe da Barra.

Venho aqui fazer um convite para a ACES, as escolas de surfe da Barra da Lagoa e outras que possam se interessar pelo assunto, para participarem da Mobilização Nacional "#manguefazadiferença", que está sendo organizada, nacionalmente, pela Fundação SOS Mata Atlântica e regionalmente pela APRENDER que está representando SC nesta mobilização contra a aprovação do novo Código Florestal.

 

Nossa idéia é de montarmos uma base (tenda operacional - APRENDER) na Barra da Lagoa dia 21 de fevereiro, 3ª feira de carnaval e em parceria, com os apoiadores e monitores andarmos pela praia com as faixas do movimento fazendo distribuição de adesivos "#manguefazadiferença" para os banhistas.

E dentro da programação, gostaríamos de colocar uma REMADA de SUP para chamar a atenção de todos na areia para o assunto em questão.

 

Já contamos com o apoio do Projeto TAMAR, Itararé Surfe Escola e Movimento SOS Moçambique.

 

Podemos agendar um horário para nos apresentarmos às escolas da Barra e explicar quem somos (APRENDER) e o evento em si.

 

E para quem quiser saber um pouco mais, ver fotos e relatos, podem acessar no facebook, www.facebook.com/manguefazadiferenca e ver como está sendo nos outros 12 estados que estão participando da campanha.

 

 

Aguardo um retorno breve!

Forte abraço e obrigado pela força.

Preservar é Viver!

 

Cadu Fagundes
Diretor Executivo

APRENDER Entidade Ecológica


www.aprender.org.br


+ 55 (48) 8443.9668
+ 55 (48) 8406.0346
Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?

em 11-12-2011 22:00 (1145 leituras)

Durante as cinco etapas de 2011 da maior competição de surfe do país, o Brasil Surf Pro, diversas cidades do litoral brasileiro receberam ações a fim de informar, educar e engajar a sociedade local e os surfistas na preservação das florestas. Na última etapa, na praia da Joaquina, de 14 a 18 de dezembro, quando será decidido o título brasileiro feminino e masculino, não será diferente.

Além da gestão sustentável do evento, o projeto ambiental Petrobras Surfe pelas Florestas, conta com espaços de conhecimento e integração socioambiental, palestras, visitas de escolas municipais na praia com atividades pedagógicas, e expedição de conhecimento. As atividades possibilitarão  a comunidade, lideranças socioambientais locais, público e até os surfistas, convivência com a cultura de sustentabilidade.

Para celebrar a abertura de verão 2012, com consciência e atitude, a equipe ambiental realizará no sábado, dia 15, uma expedição ecológica de stand up paddle (modalidade de surfe praticada com ajuda de remos), canoas e caiaques. O evento acontecerá na Lagoa da Conceição, em parceira com entidades de surfe locais como FECASURF, FECSUP e ACSUP, Joaquina e Floripa Surf Clubs, ACES, Power Surf Team, Seapoxy, a Escola do Mar e Hotel Eco Vila Praia Mole.

Dez árvores serão plantadas para homenagear o fim do Ano Internacional das Florestas. “A gente preserva aquilo que ama, vamos apresentar a belíssima Lagoa de Conceição por outro ângulo, pouco conhecido, com o intuito de engajar cada vez mais pessoas na luta pela sua preservação”, comenta Glenn Suba, coordenador geral das ações ambientais do Brasil Surf Pro.

No domingo dia 18, o Brasil Surf Pro em parceria com o Projeto Tamar de Florianópolis e a Joaquina Surf Club, farão um grande mutirão de limpeza, nas dunas e no costão, da praia da Joaquina. A iniciativa vai preparar o caminho para a soltura de algumas tartarugas marinhas reabilitadas após captura acidental em redes de pesca. A ação será realizada em frente à estrutura do evento, entre as baterias da semifinal e final.

A organização também promoverá um curso de pedagogia e gestão ambiental para escolas associadas à Aces (Associação Catarinense das Escolas de Surf) e outras associações de surfe, com palestras, metodologias e encenação de atividades pedagógicas, além de noções básicas de gestão ambiental das praias onde operam.  O curso será ministrado pelo gerente de sustentabilidade Glenn Suba e a coordenadora de pedagogia ambiental do Brasil Surf Pro, Bruna Nazarri, além do apoio de especialista em gestão ambiental de praias, Julio Mudat e o presidente da Aces, Roger Souto Maior. Todos participantes receberão um certificado.

Para Glenn Suba, a onda da Joaquina é uma das melhores do Brasil e a praia com suas dunas e costões fazem do local um dos mais concorridos para turismo na região. “Vamos trabalhar juntos com a ONG Joaquina Surf Club para deixar um legado de educação e conhecimento ambiental, mostrando à importância do surfe no engajamento da população em prol a preservação das praias”, explica.

Integrantes de projetos sociais da região e alunos de escolas municipais terão oportunidade de curtir a área da competição nos dias 14, 15 e 16. Eles serão recebidos pela equipe pedagógica do BSP, participarão de gincanas e atividades pedagógicas.

Os visitantes poderão conhecer o espaço Petrobras Surf Pelas Florestas e aprender sobre a preservação das florestas brasileiras. A Tenda, feita de material ecologicamente correto, funcionará ao lado da estrutura principal do BSP, nos dias do evento e no final de semana vai acontecer a ativação promocional da Petrobras:

Quem passar por lá poderá saber mais sobre os projetos ambientais, apoiados pela companhia, em totens interativos. Um simulador de surfe divertirá a criançada e os adultos possibilitando o plantio de árvores. Também haverá distribuição de brindes ecológicos, picolé e sementes.

Fonte: Site Oficial Brasil Surf PRO

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Leia mais... | Mais 9867 bytes | Comentários?

em 05-12-2011 00:00 (1266 leituras)

Competição mais sustentável do mundo fecha 2011, em Florianópolis, deixando legado para o litoral brasileiro.

Durante as cinco etapas de 2011 da maior competição de surfe do país, o Brasil Surf Pro, diversas cidades do litoral brasileiro receberam ações a fim de informar, educar e engajar a sociedade local e os surfistas na preservação das florestas. Na última etapa, na praia da Joaquina, de 14 a 18 de dezembro, quando será decidido o título brasileiro feminino e masculino, não será diferente.

Além da gestão sustentável do evento, o projeto ambiental Petrobras Surfe pelas Florestas, conta com espaços de conhecimento e integração socioambiental, palestras, visitas de escolas municipais na praia com atividades pedagógicas, e expedição de conhecimento. As atividades possibilitarão a comunidade, lideranças socioambientais locais, público e até os surfistas, convivência com a cultura de sustentabilidade.

A organização também promoverá um curso de pedagogia e gestão ambiental para escolas associadas à Aces (Associação Catarinense das Escolas de Surf) e outras associações de surfe, com palestras, metodologias e encenação de atividades pedagógicas, além de noções básicas de gestão ambiental das praias onde operam. O curso será ministrado pelo gerente de sustentabilidade Glenn Suba e a coordenadora de pedagogia ambiental do Brasil Surf Pro, Bruna Nazarri, além do apoio de especialista em gestão ambiental de praias, Julio Mudat e o presidente da Aces, Roger Souto Maior. Todos participantes receberão um certificado.

Veja todo conteúdo da matéria no site oficial do projeto...

Etapa Florianópolis – Praia da Joaquina
13/11 – 10h às12h – Curso em Pedagogia e Gestão Ambiental

14/12 – 16/12 – 8h às 11h30 e 13h às 17h – Excursões de projetos sociais e escolas municipais para local do campeonato.

16/12 – 14h às 16h – Curso em Pedagogia e Gestão Ambiental

17/12 - 7h às 10h – Expedição Surf Pelas Florestas – Remada pela Lagoa da Conceição.
17/12 – 11h às 12h – Eco-brunch – Confraternização entre representantes de projetos ambientais e da comunidade Surfe do Florianópolis,

18/11 - 8h às 10h – Mutirão de limpeza da praia da Joaquina.
18/11 – 10h30 às 11h – Soltura de Tartarugas Marinhas (entre semifinais e finais).

Veja todo conteúdo da matéria no site oficial do projeto...

 

Fonte: Blog Petrobras Nas Ondas 

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?

  em 22-09-2011 13:10 (1276 leituras)

Seque em anexo o cartaz do 6° evento Limpando o Mundo, que foi transferido para dia 24/09  (sábado).

O Clean Up The World é uma ação mundial, apoiada pela ONU, que simboliza a união para um mundo mais limpo, saudável e consciente para todos. Esta ação iniciou-se na Austrália em 1993, onde foi espalhada para mais de 25 países superando 35 milhões de voluntários.


O objetivo do projeto é sensibilizar a população para ampliar e reforçar a Educação Ambiental em relação aos descartes corretos dos resíduos e valorizar o meio ambiente em questão.

Além da “mão na obra”, da sensibilização sempre nos reunimos numa calorosa confraternização com música, comida, bebidas e amigos após a geral nas praias. Este ano a confraternização será no ZICATELA - Rua Delfim de Pádua Peixoto – Praia Brava – Itajaí – SC.

Estarei coordenando a coleta de resíduos na Praia Brava, caso os seus alunos e responsáveis por estes tiverem interesse em participar poderá fazer sua a inscrição no site da Univali/ evento.

Agradeço desde já pela colaboração.

Em caso de dúvidas, podem entrar em contato.

Joselene Ap.  Alves

Laboratório de Oceanografia Química

Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI

Bloco 19, sala117

Contato – (47) 3341 - 7721

                 (47) 9131 - 9751

        (47) 9600 - 2839

Mais informações...

 
Núcleo de Inovação Tecnológica -  UNIINOVA

Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

Rua Uruguai, 458 - Bloco 29, 4° piso - Itajaí, SC

Contato: (47) 3341 – 7968

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?

  em 19-09-2011 18:10 (2084 leituras)

 

 

Fundação Municipal de Turismo de Porto Belo

convida você e seus amigos a participarem  da 2ª Edição do Dia ACPS de

Caça ao Lixo Subaquática.

O evento é organizado pela Associação Catarinense de Pesca Subaquática em parceria com

a Prefeitura Municipal de Porto Belo.

No ano passado, quando aconteceu a primeira edição do evento,  foram retirados do mar,

costões e praias de Porto Belo 700 quilos de lixo.

Cerca de 150 pessoas que cansaram de lamentar pelo mar sujo partiram ao trabalho e

participaram do evento.

Boneca, pilhas, baterias, pneu, caixa de descarga de banheiro e amortecedor de veículos, foram

alguns dos objetos mais peculiares que a equipe encontrou. Latas de refrigerantes, garrafas pet,

redes e varas de pescar, foram encontradas em grande quantidade.

A Caça ao Lixo Subaquática 2011 acontece no dia 15 de outubro em Porto Belo, na praia do Jet

(Enseada da Encantada), próximo ao bairro Araçá.

Venha você também, participar deste ato de respeito para com o meio ambiente.

Mais informações você encontra em http://portobelosc.wordpress.com/contato/

 

Att.

Ana Maria Cordeiro

Estagiária de Turismo/Divulgação

Setor de Marketing e Eventos
Fundação Municipal de Turismo de Porto Belo
Avenida Governador Celso Ramos, 1492 - Centro
Tel. Fax: (47) 3369-5638

Classificação: 8.00 (1 voto) - Classifique esta notícia - Comentários?

em 15-08-2011 16:30 (1358 leituras)

"Próspero", o Brasil vai elevando seu PIB e a classe média aumentando seu poder de consumo. Enquanto isso, a zona costeira do Brasil vem sofrendo impactos socioambientais nem sempre abordados pela mídia.

Para trazer alguns destes assuntos ao debate, entrevistamos o oceanógrafo e diretor-presidente do Instituto Maramar, que atua com pesquisa e políticas na área de pesca, mudanças climáticas, recursos hídricos e gerenciamento costeiro.

Para ele o que predomina "é uma lógica perversa no litoral", dominada pela lógica desenvolvimentista e que se expressa principalmente no ciclo "desmatamento-construção-ocupação".

No meio dessa crise, ele vislumbra potencial na ação de surfistas na proteção dos ecossistemas costeiros. Leia a entrevista completa...

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?
em 12-06-2011 17:40 (3052 leituras)

Documentário do shapper Filipe Blanco Barbosa, um profissional de atitude e que pode trazer uma visão inovadora e sustentável para o esporte. O Surf produz um grande impacto ambiental, em contrapartida com a filosofia de estar em contato direto com a natureza a matéria prima utilizada é proveniente do petróleo, a produção das pranchas gera resíduos tóxicos e ainda tem muita sobra não utilizada.

Surfista e fabricante de pranchas  Filipe Blanco Barbosa une sua paixão pelo o surf e a tradição familiar, começou a reutilizar os resíduos da fabricação das pranchas pra fazer produtos artesanais e até novas pranchas.

Um exemplo de que com boa vontade é possível fazer um trabalho fantástico para o esporte e para o meio ambiente. Sustentabilidade na prática.

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Leia mais... | Mais 4282 bytes | Comentários?

em 04-03-2011 00:05 (1417 leituras)

Brasil Surf Pro 2010 deixa legado de conscientização ambiental em Florianópolis

acontecendoaqui.com.br - 08/11/2010

A preocupação ambiental foi marca registrada da penúltima etapa do principal circuito de surf do país, que aconteceu de 3 a 7 de novembro, na Praia da Joaquina, na capital

08/11/2010 “Atingimos todos os nossos objetivos, e ainda superamos vários referentes à questão ambiental. Conseguimos sensibilizar um número considerável de pessoas que realmente se preocupam com o nosso ecossistema. Floripa foi uma ótima surpresa para nós”, comemorou Sérgio Mello, diretor da Brasil1 Esporte, empresa organizadora do evento.
 
Durante o campeonato, a Praia da Joaquina contou com lixeiras de coleta seletiva feitas de placas de tubos de pasta de dente recicladas, onde todo material reciclável foi encaminhado a um centro de triagem de resíduos montado no local. No sábado (6), houve um mutirão de limpeza dos microlixos que se acumulam nas praias que contou com a presença de cerca de 100 moradores da capital catarinense. Nos cinco dias do evento for\recolher 580 quilos de lixo na praia. Desses, 120 quilos eram orgânicos e o restante, 460 quilos, foi encaminho à cooperativa de reciclagem Pixurum.

O círcuito teve um espaço denominado “Surf e Sustentabilidade”, onde foram realizadas exposições sobre o impacto ambiental do plástico nos oceanos e contou com a presença da equipe do projeto Tamar. O público também recebeu dicas sobre sustentabilidade e consumo consciente.
 
Na noite do primeiro dia de evento, quarta-feira (3), houve ainda o Ecoencontro, um mini seminário sobre “Sustentabilidade e o Meio Ambiente Costeiro: Ameaças e Oportunidades”, que aconteceu no Hotel Praia Mole Eco Village. Na ocasião, estiveram presentes lideranças comunitárias, comunidade do surf, universitários, representantes do poder público e de ONGs da região.

Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, o Brasil Surf Pro 2010 realizou visitas guiadas e atividades educativas gratuitas, que foram conduzidas pela educadora ambiental Bruna Nazzari. Segundo Glenn Subba, diretor da ONG Surfrider Foundation Brasil, 420 crianças da rede pública municipal de ensino foram atendidas com sólido embasamento pedagógico.

Além das ações promovidas pelo evento, a equipe composta por 300 pessoas que trabalharam no Brasil Surf Pro 2010, e ainda atletas e parceiros, também estiveram inseridos na mobilização ambiental, adotando atitudes sustentáveis no dia a dia da competição. Na estrutura do evento, não entraram copos de plástico, por exemplo, somente canecas de plástico reciclado de uso individual e reutilizável, mantendo-a em uso durante todo o campeonato. E ainda, a imprensa recebeu pen drives em forma de prancha feito de madeira certificada em áreas de manejo florestal e os atletas ganharam parafinas biodegradáveis de soja, uma parceria do evento com a Sticky Bumps. Toda a estrutura do evento, aliás, foi de material reaproveitado. O palanque onde trabalham diretores de competição, juízes, produção e imprensa, foi montado com placas de OSB (madeira reciclada) que se encaixam, assumindo o formato necessário para cada etapa. Dessa forma, a organização não precisou adquirir novo material para cada parada do evento e evitou deixar para trás restos de estrutura e resíduos nas praias por onde passou.

Lixo recolhido
140 kg – vidro
120 kg – orgânico
100 kg – microlixo
70 kg – papelão
45 kg – pet
40 kg – placa de alumínio
35 kg – plástico de filme
20 kg – plástico polipropileno
10 kg – tampinhas

ECOencontro divulga sustentabilidade no Brasil Surf Pro
O ECOencontro foi apresentado na quarta-feira (3), no Hotel Praia Mole Eco Village, pela Petrobras, a atletas participantes do Brasil Surf Pro e aos amantes dos oceanos. Na cerimônia de abertura, Roberto Vámos, representante da ONG The Climate Project no Brasil, falou sobre “Ameaça Silenciosa - impacto do aquecimento global e da poluição nos oceanos”. Em seguida, Glenn Subba, diretor da ONG Surfrider Foundation Brasil, que também atua como consultor ambiental do Brasil Surf Pro 2010, apresentou o Programa de Sustentabilidade do BSP 2010 - Parcerias e Resultados. Na ocasião, Glenn enfatizou a importância da conscientização ambiental pelas mãos dos surfistas. “A comunidade do surf no mundo é muito poderosa e articulada. Eles podem usar essa boa influência para gerar inúmeros benefícios à população em geral”.

Ao final do encontro, aconteceu o debate “Desafios e oportunidades ambientais na Ilha de Santa Catarina”, com participação de Fred Leite (presidente da Fecasurf), Julio Mudat (consultor ambiental da Fecasurf), Roger Souto Maior (presidente da ACES), Mario Pereira (analista ambiental ICMBio), Alexandre Castro (Instituto Ilhas do Brasil) e o surfista Guga Arruda.
 
Moradores de Florianópolis participam do mutirão de limpeza do Brasil Surf Pro 2010
Cerca de 100 pessoas participaram, no sábado (6), do mutirão de limpeza na praia da Joaquina, organizado pelo Brasil Surf Pro 2010, em parceria com a Associação de Surf da Joaquina e ONG Joaquina Surf Club. O foco deste ano foi atingir o público adulto sobre a importância da limpeza dos microlixos que se acumulam nas praias, sendo um dos principais problemas da poluição dos mares.

“Crianças e adolescentes são mais participativos nesse tipo de ação. Hoje, aqui na Joaca, procuramos focar no público adulto, e a surpresa foi boa. Os moradores de Florianópolis estão de parabéns”, afirmou a educadora ambiental do evento, Bruna Rocha Nazzari.

Para Jefferson Sperling Veloso, presidente da Associação de Surf da Joaquina, os trabalhos desenvolvidos na área ambiental trouxeram não só para a praia da Joaquina como também para Florianópolis um legado consistente. “As tarefas desenvolvidas em parceria com o Brasil Surf Pro, além da limpeza que foi feita na praia e nas dunas juntamente com toda a revitalização do local onde são realizados os campeonatos de surf, serviram para conscientizar ainda mais a comunidade local. Essa ação funcionou como uma escola educativa para nós”, finaliza Jefferson. 

BSP e Petrobras doam pranchas de surf a projeto social de Floripa
A interatividade com projetos sociais locais também foi uma preocupação do principal circuito de surf do Brasil. Ainda no sábado, o Brasil Surf Pro 2010, com o apoio da Petrobras, doou quatro pranchas de surf ao projeto Procurando Caminho – Resgatando Vida. “Trouxemos do Rio o coordenador da Rocinha Surf Escola, Ricardo Bocão, para nos representar na entrega das pranchas, que aconteceu durante o terceiro Festival de Surf do Procurando Caminho, na praia do Matadeiro. No local, os dois projetos puderam trocam informações essenciais”, contou Glenn Subba, diretor da ONG Surfrider Foundation Brasil.

Com a preocupação de tirar crianças e adolescente do ócio, o Procurando Caminho - Resgatando Vida, do Centro Cultural Escrava Anastácia, oferece a prática do surfe e de outras atividades de aventura como prevenção e opção às drogas e à criminalidade. Outro ponto fundamental é mostrar aos jovens de comunidades menos favorecidas da grande Florianópolis que o esporte pode ser uma alternativa e que existe uma chance de superação através dele.conta hoje com cerca de 100 jovens da Grande Florianópolis participando de suas atividade.  

O Brasil Surf Pro 2010, que conta com os principais atletas de surf do País em busca do título de campeão brasileiro além da premiação recorde de R$ 1 milhão, foi realizado pela Brasil1 Esporte, com patrocínio da Petrobras, Skol e Hawaiian Dreams (HD), apoio da Azul - Linhas Aéreas Brasileiras, dos canais SporTV e Multishow, Editora Globo (Revistas Época e Época Negócios) e da TV Jam. O campeonato conta com recursos da Lei Federal de Incentivo ao Esporte, organização da Associação Brasileira de Surf Profissional (Abrasp) e produção da MaxSports. Esta quarta e penúltima etapa, na Praia da Joaquina, também conta com apoio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, por meio da Fundação Municipal de Esportes, da Federação Catarinense de Surf - Fecasurf, e da Associação de Surf da Joaquina - ASJ.

Mais informações no http://www.brasilsurfpro.com.br/pro/.

Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?

em 16-12-2010 00:10 (2468 leituras)

Clínica de Surfe e Sustentabilidade acontece em Bertioga


Integrando a programação das atividades de verão do SESC-Bertioga/SP, a Ecosurfi realiza a partir dessa sexta-feira (17/12), a “Clinica de Surfe e Sustentabilidade”, que vai proporcionar aulas de surfe e sensibilização ambiental aos sócios da instituição durante todas às sextas-feiras do mês de janeiro.
Mais detalhes no link: http://ecosurfi.blogspot.com/2010/12/ ... e-e-sustentabilidade.html
Classificação: 0.00 (0 votos) - Classifique esta notícia - Comentários?
Artigos de Surf e Educação Escolas de Surf ACES Projetos ACES Artigos de Meio Ambiente e Sustentabilidade Artigos de Competição
Informações Importantes Projetos Sociais Executados por Escolas de Surf Artigos de Surf e Saúde Mundo do Surf - SurfNews Área para Associados, Proprietários e Orientadores de Surf ACES

Fortaleça sua empresa.

Valorize sua marca.

Apoie uma Escola ACES e
faça parte de uma rede de educadores empreendedores.

ACES unindo talentos e fortalecendo a educação e o esporte em Santa Catarina.

Incluir link da ACES em seu site:
Associação Catarinense de Especialistas em Surf

Copie o texto acima e cole em seu site.

Lista das Escolas de Surf Credenciadas ACES


SANTUR Ministério do Esporte Prefeitura Municipal de Florianópolis GOVERNO DE SANTA CATARINA
facebook
Escolas de Surf
twitter
RSS ACES SURF
rss

 

 

ESCOLA DE SURF, ESPECIALISTA, SURFSCHOOL, SANTA CATARINA, ESCOLA, SURF, STANDUPPADDLE, SUPTRIP, AVENTURA, WATERSPORTS, ACES, FLORIPA, PRAIAMOLE, ESCOLINHA, INGLESES, ECO, FLORIANOPOLIS, QUALIDADE DE VIDA, QUALIDADE, SALVA SURF, EDUCACAO, AMBIENTAL, CAPACITACAO, TREINAMENTO, QUALIFICACAO, SUSTENTABILIDADE, BRAVA, JOAQUINA, SURF SCHOOL, BARRA DA LAGOA, BRAVA, PADDLE, STANDUP, SUP, VIAGEM, SURFLESSONS, CAMPECHE, INGLESES, ACORES, LAGOINHA, MATADEIRO, CAPACITACAO, QUALIFICACAO, MORRO DAS PEDRAS, NAUFRAGADOS, PONTA DAS CANAS, BARRA DA LAGOA, LAGOA DA CONCEICAO, ESCOLA DE SURF, SURF TREINO , COMPETICAO , SURF AVANCADO, SURF , COMPETICAO, SURF SAFARI, SURF TOURS, SUPORTE TECNICO, CARENTES, CONSULTORIA